Cooperar


Projectar


Construir


Habitar

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Design by:

   

 

História da CHEUNI

 

21 de Setembro de 1975

Início da actividade associativa, primeiras inscrições e organização de todo o processo necessário à definição e implantação da Cooperativa.

 

1976

Elaboração do pacto social e consequente publicação no Diário da República.

Início da solicitação de terrenos à Câmara Municipal de Oeiras (C.M.O.).

 

1977

Tomada de posse administrativa dos terrenos de Queijas após a expropriação destes por parte da C.M.O.

 

1977/83

Organização do processo de financiamento bem como da execução de projectos e sua reformulação.

 

1984

Cedência definitiva dos terrenos de Queijas por parte da C.M.O. e financiamento concedido pelo Instituto Nacional de Habitação.

Lançamento da empreitada da Mancha “A”.

 

1985/86

Construção dos 271 fogos que compõem a Mancha “A” e todo o equipamento social e comercial adjacente.

 

1987

Concurso para a 2ª fase de construção Mancha “B”, 115 moradias com financiamento do Instituto Nacional de Habitação.

Lançamento da empreitada e início da Obra.

 

1990

Conclusão da 2ª fase de construção.

Expansão da actividade da Cooperativa através da aquisição de novos terrenos em Oeiras, Loures, Almada e Sintra, no sentido de permitir a construção de aproximadamente 1200 fogos.

 

1991/92

A Cooperativa não consegue desbloquear um conjunto de situações inerentes à complexidade de um projecto ambicioso, comprometendo os planos de crescimento traçados dois anos antes.

 

1993

Início da construção de 6 moradias Mancha “B” em Queijas e desbloqueamento de toda a 3ª Fase.

 

1994

Queijas: Conclusão de 6 moradias no Lote 14 e início da construção de 5 moradias no Lote 15 – Mancha “B”.

 

1995

Queijas: Conclusão de 5 moradias no Lote 15 e início da construção de 87 apartamentos no Lote 18 – Mancha “B”;

Sintra:  13 apartamentos na Tapada das Mercês;

Loures: 168 apartamentos na Apelação.

 

1998

Queijas: Conclusão de 87 apartamentos no Lote 18 – Mancha “B”; Prémio INH (Instituto Nacional de Habitação);

Loures:  1ª Fase – 118 apartamentos na Apelação;

Almada: 102 apartamentos no início da 1ª Fase no Monte da Caparica.

 

Constituição da CUPH’S para empreendimentos em:

Queijas, cerca de 130 fogos (moradias e apartamentos)

Algueirão, 64 moradias

Valejas, 63 moradias

Torres Vedras, 163 moradias.

 

1999

Almada: Conclusão da 1ª Fase no Monte da Caparica com 80 apartamentos;

Algueirão: Construção da 1ª Fase – 15 moradias;

Valejas 1ª Fase: Início da construção de infra-estruturas;

Queijas e Torres Vedras: Desenvolvimento do processo de loteamento e execução de projectos;

Lagos: aquisição de 6 lotes na Meia-Praia e lançamento do concurso para a construção desse mesmo empreendimento.

 

2000

Conclusão da 2ª fase Monte da Caparica – Almada, 103 apartamentos.

Inicio de construção da 3ª fase Monte da Caparica – Almada, 22 apartamentos; Meia Praia – Lagos 21 apartamentos, 1 moradia e 5 lojas; Valejas – 1ª fase, 45 moradias.

 

2001

Conclusão da 3ª fase Monte da Caparica – Almada, 22 apartamentos; concluídas também 34 moradias no Algueirão – Sintra e Valejas – 1º fase, 45 moradias.

Novos Projectos:

Bairro do Condado – Chelas, projecto em fase de licenciamento, aguardando aprovação pela CML;

Porto Salvo 20 apartamentos promovido pela UNIOEIRAS;

Moinho do Murganhal – Caxias, em fase de loteamento também promovido pela UNIOEIRAS.

 

2002

Conclusão da obra dos 22 apartamentos, Meia Praia – Lagos; inicio da execução das infra-estruturas da 2ª fase Valejas, assim como o empreendimento “Varandas de Queijas” – Queijas, constituído por moradias, apartamentos e condomínio privado, iniciaram-se as infra-estruturas.

 

2003

Conclusão das infra-estruturas da 2ª fase de Valejas e Varandas de Queijas. Aquisição de dois lotes no “Moinho do Murganhal” – Caxias, com 10 fogos cada para promoção própria.

 

2004

Conclusão das infra-estruturas das Varandas de Queijas.

Lançamento a concurso de 9 moradias na 2ª. Fase de Valejas, com promoção própria.

Aprovação do Loteamento do Casal dos Olheiros em Torres Vedras, com a divisão dos lotes pelas 5 Cooperativas que compõem a CUPH.

 

2005

Conclusão das 9 moradias de Valejas.

Lançamento de Concurso para adjudicação de empreitada para os empreendimentos; Murganhal e Varandas de Queijas.

 

 

Se olharmos através destes 31 anos, constatamos um conjunto de erros e decisões menos acertadas. No entanto, julgamos que o balanço final é positivo. Para além do seu objecto principal, construção a preços controlados, a CHEUNI está também a desenvolver outro tipo de construção, sendo alguns destes projectos em parceria com outras Cooperativas. Dá também apoio na organização do condomínio no período pós venda dos fogos e em alguns casos – e se for essa a vontade dos associados, faz a administração do mesmo. Foram ainda desenvolvidas outras acções de âmbito sociocultural, as quais contribuíram de forma determinante para a integração e equilíbrio social indispensáveis ao período após alojamento.

 

Condições de admissão – Novos sócios

 

De acordo com os Estatutos, Regulamentos Internos e Orçamento aprovado, as condições de admissão para novos sócios são as seguintes:

 

Capital Social                         150,00

Jóia                                      250,00

Quota Mensal                            3,00

Estatutos                                 1,25

Cartão de Sócio                         0,75

 

Total                                          € 405,00

 

Consulte aqui os Estatutos da Cooperativa

 

Faça download da Proposta de Adesão de Cooperador